Perplexidade

Sou voluntária em um lugar onde, ao chegar, você encontra na entrada uma caixinha aberta cheia de balinhas. Os voluntários levam/compram as balas, e digamos que é para adoçar um pouco a entrada da terça-feira à noite. Pois bem, faz anos que trabalho lá, e quase semanalmente me deparo com algo que não entendo, então venho aqui pedir ajuda aos leitores.

Tem gente que pega várias balas, tem quem pega uma, tem quem não pega. O negócio não é este. A questão é que tem quem pega bala e deixa o papelzinho dentro da caixa. A pessoa abre a bala, sei lá se na hora ou depois, e deixa o papel lá dentro. Falta de lixo, você diria, certo? Errado, é só a pessoa dar 3 passos e ela se depara com uma lixeira.

Dai você diz: ah, vai ver foi por engano ou algo assim… Então te digo que tem gente que joga papel no chão. Lá dentro, não na rua (como se na rua fosse menos errado, mas enfim…). Dai você diz de novo: as vezes caiu e a pessoa não viu. Não, porque se for um papelzinho só tudo bem, mas tem quem deixa papel de n balas num montinho, bem como papéis diversos. Como se a pessoa fosse limpar sua carteira ou bolsa e deixasse tudo lá, no chão. E é isto que eu não entendo sabe? Fui criada assim: qualquer lixinho que você gerar, se não tiver onde jogar guarde no bolso. Coloque na bolsa. Segure na mão. Mas não jogue no chão. Ou na caixinha onde ficam as balas. Entende?

Não entendo também quando tenho que usar banheiro em rodoviária, aeroporto, shopping, etc., e está imundo não por falta de limpeza, mas porque alguém entrou lá e detonou tudo. Já vi madame enchendo vidrinho em aeroporto internacional com o sabão que fica no banheiro para limpar as mãos. Já vi gente que leva o papel higiênico destes lugares para casa, ou para onde ela for. Já vi pessoas que tentavam levar para casa o creme ou desodorante que estavam expostos na academia para teste. A academia era paga, e não era barato. O mais incrível é a pessoa sair do banho e ir usar o creme de lá dizendo: “usarei minha parte”, mesmo ela tendo um creme novo e de melhor qualidade em sua necessaire.

Eu não entendo estas coisas. Não sei como é a criação destas pessoas, não sei se é desatenção. Mas quando eu achava que já tinha visto ou ouvido tudo na vida, me deparei com esta: entrando em um banheiro de aeroporto vi uma tia da limpeza consolando a outra, que chorava. Como a fila estava razoável deu para ouvir o problema: alguém tinha ido no banheiro masculino e tinha feito cocô em cima da tampa da privada. Sim, você leu certo: a pessoa fechou a tampa da privada e fez cocô em cima. Acha que acabou? Não, a pessoa pegou o cocô e lambuzou as paredes do banheiro.

Eu te pergunto: será que a pessoa faz isto na casa dela? Quem faz isto? Gente? Não, desculpe, não em meu mundo, isto é bicho quem faz. Se bem que animal tende a ser bem limpo né… Animal bicho, não seres humanos…

PS – apesar do tema meio tristonho, desejo a todos uma ótima Primavera. Que seja linda, florida, colorida, e que seja o início de uma fase ótima na vida de cada um que chegou até aqui.

Anúncios

6 Comentários on “Perplexidade”

  1. Deborah disse:

    Super mega hiper bacana esse texto….muitas vezes ja vi isso também ..não so com papeis de bala mas sim com papeis de chocolates..pareçe ser normal para as pessoas que fazem isso talvez isso se chama EDUCAÇÃO, mas é de ficar de boca aberta como tem pessoas que usam o banheiro de uma rodoviária ou de algum lugar público enfim para fazer esse tipo de maldade,para mim isso é MALDADE, como VOCÊ mesmo disse quem faz esse tipo de coisa são os BICHOS…mas nem bicho, conheço animal que fazem suas necessidades em lugar sepradinho.
    Olha é de ficar indignada como tem pessoas que não educação…ou melhor ja que educação vem de berço..venderam o berço e a educação foi junto…….

    Uma ótima Primavera para Você também…………

  2. Marcos Guinoza disse:

    Karina…
    1) sobre papel de bala: quando morava no Japão, eu, este latino-americano mal-educado, joguei um papel de bala no chão. Um velhinho japonês zangou comigo. Não entendi bulhufas do que ele disse, mas entendi o principal: ali não era lugar de jogar o papel. Nunca mais fiz isso na vida.
    2) sobre cocô na tampa da privada: sei de fábricas onde os empregados cagam no lugar onde tomam banho.
    e assim caminha a humanidade…
    bj.

  3. Mamita disse:

    as pessoas estao loucas! sorry, mas sou fã de hamurabi… tem de descobrir quem fez o coco na tampa da privada e… hamurabi nele! duvido que faz isto em casa! sem comentarios!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s