Referências Bibliográficas

Sou nerd. Assumida. Sempre fui! Na época da adolescência, o umbral na Terra para qualquer um, ser nerd foi um pouco mais difícil, mas ter altura suficiente e ser meio antissocial me ajudaram a manter o povim longe. Palavras às vezes machucavam, mas acho que ali comecei a pouco me importar com o que falavam de mim. Seguia lendo, o que para o bem ou para o mal me deu uma bagagem bem maior do que muitos da minha idade. Se isto me traz vantagens? Não, não recebo nada por ler. Mas sigo com o hábito e estou feliz com isto, e venho aqui te dar algumas dicas.

Li os livros que cairam no vestibular na época. Sim, cafona, mas li todos. Não me lembro de nenhum, mas me lembro de ter lido Olga quando era piveta, Anarquistas Graças a Deus da Zélia Gattai, todos do Marcos Rey e pasmem, viciei em Cronin (o Dan Brown da década de 80/90) e Morris West. Aconselho todos. Tive minha fase Agatha Christie, e até hoje “O Caso dos 10 Negrinhos” segue imbatível no quesito suspense com final surpreendente. Li todos dela também, acredite. Sou nerd, lembra?

Livros mais atuais para quem quer rir até doer a barriga: qualquer um da Cláudia Tajes, mas “A Vida Sexual da Mulher Feia” é pecaminoso NÃO ler. Sugiro a leitura deste livro a seco – li no avião e cuspi a água no meio de uma frase inspirada. Ela é ótima! Sugiro também os livros da Stella Florence (@stella_florence), principalmente o 32 Tatuagens, 32 Homens, 32 anos (nunca sei a ordem)… Os Indecentes também é bom, são crônicas “soltas interlaçadas”. Lê que você me entenderá.

Minhas musas de cabeceira: Martha Medeiros. SEMPRE! Tenho TODOS os livros dela e vira e mexe dou de presente. O último – “Feliz por nada” – devorei em 2 dias. Quando crescer quero ser como ela: ser capaz de fazer uma crônica sobre almofadas da sala e pensar “como eu não escrevi isto?” Tem que ler todos, e a crônica O GRITO é o “meu” texto. Amo. Me define. Tem também a Clarissa Correa como seu blog sensacional e seu livro. Tem que reler sempre, porque a Clarissa tem o dom de escrever exatamente o que você levava na mente e no coração. Parece que ela lê seus pensamentos, sabe?

Tem a Marla, que é densa. Não sei outra palavra para descrevê-la, mas ela e seus textos são densos. Se ela quiser te fazer chorar você chora. Ela meio que te comanda. Adoro!

Tem um blog que eu tenho lido diariamente e não me canso, O Idiota Feliz (sério, com este título, dá para não ler?). O cara é jornalista formado, não como estes que escrevem e se intitulam os tais. Os textos dele são concisos e contundentes. Não tem um texto que ele faça que eu não termine com a pulga atrás da orelha, pensando naquilo. Vale a pena.

E tem o escrevedores, o blog colaborativo que eu cuido. Este é legal pelo intuito: pessoas que NUNCA escreveram resolvem vomitar um pouco o que levam dentro de si… Muito legal, textos diversos, temas distintos. Vale a pena a visita.

Tem também os do Dan Brown (virou carne de vaca), Contardo Calligaris (o último dele, A Mulher de Vermelho e Branco, é um suspense de estórias paralelas que se cruzam. Se você gosta de leitura assim, recomendo), e até da JK Rowling (li os 5 primeiros. Herege).

SE você não leu nenhum destes, vale a pena começar pelos blogs. SE eu puder ajudar, me mande email ou procure no twitter. Se tiver algo para indicar me avise, ou me dê de presente, já que meu aniversário está chegando! Espero ter ajudado. Beijos e volte sempre!

Anúncios

2 Comentários on “Referências Bibliográficas”

  1. Karina…
    muito feliz por ser citado entre tantos bambas.
    obrigado.
    bj.
    o idiota feliz!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s