Feliz por nada. E por tudo…

Olha, tem uma coisa que eu não entendo: pessoas que atrelam a felicidade a qualquer coisa que seja. Já repararam? Para ser feliz você tem que ter algo, ser algo, fazer algo, possuir algo. Não dá para apenas estar feliz naquele momentinho que seja? Não, não dá!

Todo mundo fica desempregado uma vez na vida. Se você nunca trabalhou e procura emprego, você é o que? Desempregado ué. E claro, não sou uma ridícula indecente que não tem noção das coisas: sei que ficar desempregado tendo família para sustentar e após uma certa idade é complicado. Muitas vezes este desemprego involuntário vira desemprego-eterno. E ai, fazer o que? Cada um se vira como pode, sempre fazendo seu melhor. Orgulho? Fácil de ter quando você tem condições para tal e tudo está às mil maravilhas. Só que o mundo dá voltas e muda muito rápido. Eu já perdi o meu faz tempo, ainda bem!

Ser feliz não é o seu trabalho. Já ouviu aquela máxima que “ninguém é insubstituível”? Então, aprenda nas entranhas isto: você pode se matar pelo seu emprego, mas na hora que você for descartado em questão de horas talvez outro estará ocupando seu assento. O emprego é uma parte integrante de nossas vidas até para termos ocupação e não pensarmos bobagem, além de termos um meio de realizar nossos sonhos (o meu, viajar e comprar livros, não nesta ordem). O negócio é trabalhar para viver, e não o contrário.

Agora, tem os que também condicionam a felicidade a estar com alguém, ou não estar sozinhos. Estes para mim são pobres coitados. Sério. Sei que não tenho a melhor autoestima do mundo, mas vejo pessoas assim e percebo não estar tão mal na fita. Isto não é felicidade, queridos. Isto é tampar o sol com uma peneira. E, no fundo, você sabe disto.

Felicidade pode estar em pequenas coisas: em ir ao banheiro quando o xixi está quase escorrendo pelas pernas, em ter alguém que te ajude com as compras quando está pesado, a ter alguém que te abre a porta para entrar em algum lugar, em beber um café quentinho num dia frio, a ver um raio de sol após dias de chuva. A felicidade está. Não é.

Gabarito para afirmar o que eu escrevi acima? Nenhum, só o que eu vivi mesmo. Mas por hoje isto me basta, e tento estar feliz o máximo que posso. Que seja agradecendo todas as noites pela caminha quentinha que eu tenho nestes dias tão frios. Se sou feliz? Complexo. Mas termino este texto sorrindo. Feliz. Só por isto. Só por hoje. Só por agora. Feliz por nada.

PS – texto inspirado na crônica Feliz por Nada, da sensacional Martha Medeiros, que está no seu último livro devorado em 3 dias por mim. O título do livro? FELIZ POR NADA!

Anúncios

3 Comentários on “Feliz por nada. E por tudo…”

  1. arturtavares disse:

    Muito bom “ver” um sorriso =)

  2. oidiotafeliz disse:

    “A felicidade está. Não é.” – Gostei. Bj.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s