Vasos quebrados e restos de comida

Ela é uma mulher linda, fofa, meiga, batalhadora, família, romântica, cresceu mas não perdeu o lado menina. Ele é um “homem”, entre aspas porque tem atitudes que ainda transparecem sua adolescência tardia. Ela sofre. Mas aceita.

Eles estão juntos há anos. Se veem pouco, maledicências de quem mora em cidade grande. Neste meio tempo, ambos mudam! Ela continua apaixonada, ele fica arisco e ríspido, em uma frequência que começa a preocupar. Ela quer conversar, ele diz que não pode. Uma hora está ocupado, uma hora o horário é impróprio, um outro momento ele está em um compromisso e não pode parar no meio, outra hora ele está aguardando uma ligação muito importante. Ela chora. Mas aceita.

Ela pergunta o porquê dele ter mudado tanto. E para pior. Ele responde com o silêncio. Ela insiste em perguntar sobre a vida, falar sobre a vida. Ele vira bicho e diz que NÃO QUER FALAR SOBRE ESTE ASSUNTO! Só que “este assunto” é uma lista que vai aumentando dia a dia. Ele não quer falar de nada! As conversas ficam esparsas. Ele responde o que ela pergunta. Dependendo da pergunta, por que se for para falar de coisas dele ele não quer e não fala. Ela não entende. Mas aceita.

——————————————————————————————————————————————————-

Esta estória é ficcional. Só que aposto que você e eu conhecemos personagens de variações deste tema, isto se não formos nós um dos avatares participantes. Já passei por situações assim, conheço pessoas que estão “vendo este filme”, outros passarão por esta ponte… Incrível! Só que é duro quando é com alguém que gostamos, principalmente se ela é a pessoa que aceita e sofre com esta estória. O que podemos fazer? NADA!

Só três coisas que eu aprendi na vida, e se Deus quiser serão lições valiosas para o futuro: vasos quebrados, mesmo que colados, jamais serão o mesmo ou terão o brilho do original. Interprete isto como quiser.

Uma outra coisa que aprendi é que ninguém muda do nada. Ninguém! Pessoas só mudam se ELAS MESMAS quiserem, e muito! Mas muito mesmo. (In)felizmente somos pessoas de hábitos e repetições. Bom quando a repetição é de um acerto, coisa rara de ocorrer. Então, se você quer que a outra pessoa mude, sinto lhe informar, mas você sofrerá e o outro continuará o mesmo. Você quer que o outro pare de fumar, emagreça, não use drogas, viva uma vida mais regrada… você quer isto. A pessoa não. E enquanto ela não quiser as chances de alguma mudança acontecer são nulas, isto se não forem negativas.

E a principal: se aceitamos os restos de comida, de atenção, de sorriso, de carinho, resto de qualquer coisa de outra pessoa, é porque NÓS ACEITAMOS isto. Ele (a outra pessoa) não fica com um revólver na sua cabeça te obrigando a aceitar tudo! Não! Saiba e lide com isto: você aceita estes restos. VOCÊ SE FAZ ISTO!

Sabendo disto e aceitando, por qualquer motivo que seja, ao menos você tem um pinguinho de caráter escondido. Por que amor-próprio, bom, este eu sugiro a feira mais próxima…

Anúncios

2 Comentários on “Vasos quebrados e restos de comida”

  1. Analice disse:

    Muito bom….texto pra pensar e pensar e pensar…..

  2. Fa disse:

    “Nao ouse roubar minha solidao se nao for pra me fazer real companhia”, ou algo assim, ja dizia Nietzch.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s