Medos, vitórias e Greta Garbo

Greta Garbo no auge... linda linda linda

Eu cresci ouvindo que “medo não existe”. Não sei qual era o método usado por mamis, mas ela sempre disse isto. Acho que por insistência dela e cansaço meu, acabei acreditando nisto. Nunca acreditei em bicho embaixo da cama, bicho-papão, homem do saco, estas coisas. Tampouco acreditei em Papai Noel, coelhinho da Páscoa ou mula sem cabeça, já não sei se por teimosia minha ou interferências externas. Só sei que cresci destemida (aplausos), até aprender um dos piores medos: o medo de gente! E acabo de descobrir outro.

Medo de gente eu tenho por que ninguém anda com um post-it na testa falando o que a pessoa realmente é. Já imaginou que legal se todos viessem já com um aviso estampado? Teria o “mentiroso”, “ladrão”, “assassino”, por aí vai. Suspeito que esta idéia não vingou até agora por que alguns não teriam espaço suficiente para descrever suas qualidades seus defeitos. Enfim, facilitaria minha vida, e creio que a de muitos outros.

Mas agora, adulta e quase senil, descobri em mim uma qualidade estranha. Nada picante ou pornográfico, sorry por desapontá-los. Descobri que luto luto luto, mas tenho medo da vitória. O fracasso, fácil, já sei a cara e o gosto dele. Lido até que bem agora, apesar de já ter chorado e muito por conta disto. Mas a vitória… Não, não ganhei jogo algum – ainda – mas tenho medo de quando conseguir. Estranho né?

Então penso se não pratico o autoboicote, ou a autossabotagem. Triste se for verdade, mas ainda bem que percebi a tempo. Tenho consciência de minhas capacidades, sei o tamanho que tenho e sei também o tamanho do que não depende de mim. Por que será então que insisto em, sempre que vejo a linha de chegada se aproximando, tirar o pé do acelerador? Por que eu faço isto comigo?

Não sei a resposta. Só sei que tenho tantas outras características, e uma delas é não desistir… Se bem que, com o tempo, tenho cansado fácil.

Espero saber a hora certa de atacar, de recuar, de fingir de morta. Mas também espero ter a sabedoria de saber quando desistir. Por que certa estava Greta Garbo, que saiu no auge e ninguém nunca mais a viu. Errado é este povo que não percebe quando o tempo já foi, e eles insistem em algo que acaba se tornando um erro. Espero realmente ser Greta Garbo.

PS – a foto usada é de Greta Garbo, no auge. Não se tem fotos dela quando decidiu viver reclusa até sua morte. Garbo dizia que queria ser lembrada no apogeu. Nada ruim a imagem ne?

Anúncios

2 Comentários on “Medos, vitórias e Greta Garbo”

  1. Rosanna disse:

    Eu espero que você saiba sim a hora certa de atacar, de recuar, de fingir de morta e até de desistir quando for preciso, mas torço mesmo é pela hora de você pisar fundo o acelerador, cruzar a linha de chegada e VENCER!! 😉


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s