Deixa esta estória para lá

Ouvi outro dia a seguinte frase: “deixa esta estória para lá”. Confesso, não foi esta a frase, mas adaptei para escrever sobre o fato de deixar para trás coisas já ocorridas. O passado, enfim…

Se você chegou até aqui (e não digo no texto por continuar lendo, digo na vida, sabe?) você já viveu. Já riu várias vezes e quebrou a cara tantas outras. Já colecionou acertos e um saco de erros. E continuou aos trancos e barrancos, ou como eu gosto de dizer “firme como prego em areia”. Confere? Confere.

E estas experiências são o que te formaram e te moldam no que você é hoje. Sem elas você seria outro. Com outras vivências você também seria outro. A soma de tudo de certo e errado e escolhido e imposto pela vida é o que te faz único. Sua visão de mundo é vista através deste filtro chamado VIDA. E da experiência que advém dela de lambuja.

Então não concordo com a frase acima. Ou melhor, concordo com ela em partes. Não dá para negar coisas que já ocorreram comigo, todas as cicatrizes da alma que tenho são resultado do meu passado. Só que posso usar meu livre-arbítrio e ver até onde e quando eu permitirei que elas guiem meu presente. Só que aí tem a seguinte questão: o livre-arbítrio é pessoal, e cada um o usa como quer. Ou nem usa. Explico: pode ser que eu queira não abrir mão do que ocorreu há 50 anos comigo. Pode ser que ainda tente, zilhões de anos depois, me livrar daquela experiência, sorry se sou lenta para você. Tem gente que troca de namorado como quem troca de calcinha quando toma banho, outras já demoram mais tempo para se desvencilhar dos laços criados. Cada um faz o melhor que pode e a seu tempo.

Quer um exemplo para clarear as idéias? Diga para uma mãe que perdeu um filho há 20 anos que ela tem que viver a vida, olhar para a frente, etc. (não tenho filhos, me baseio no que vejo do mundo em relação a isto. E sim, peguei pesado). Diga “deixa isto para lá” para ela. Ou diga para uma pessoa que sofreu muito na vida, que perdeu mais do que ganhou que ela deve seguir adiante. “Isto já passou, deixa esta estória para lá”. Faça isto e me diga como foi a experiência. E saiba de antemão que tenho VPV – Vergonha Por Você. Ah sim, compre também já sua roupa especial para o dia em que você for para o Umbral, porque para Nosso Lar você não vai! Aposto $10 nisto!

Apesar de me achar uma velha para muitas coisas, sou inteligente o suficiente para saber que não, não vivi muito em números corridos. Mas vivi sim muito em experiências. Nunca passei fome, frio e sempre tive tudo o que precisava. Mas já passei por poucas e boas. Literalmente! Se algumas vezes ainda não consegui “deixar para lá” é porque ainda não deu. E acredite em mim, eu tento! Ou então eu não deixarei isto para trás, por uma questão de escolha e senso de auto-preservação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cabe aos outros respeitar isto. Ou não. Neste caso, a porta é serventia da casa.

Anúncios

2 Comentários on “Deixa esta estória para lá”


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s