Consultório aberto, mas não abuse…

Devo ter cara de psicóloga. Juro. Nunca pensei em ser psicóloga na vida, quando tinha 15 anos já sabia o que queria prestar no vestibular (PS adiantado – errei na escolha, admito) e Psicologia não era uma opção que passava pela minha cabeça. Mas devo ter cara ou alma de psicóloga. Motivo: as pessoas desabafam a vida comigo. Do nada. Sem eu perguntar nada, em momentos impróprios estranhos e, o mais bizarro, me pedem opinião. Já até escrevi sobre isto antes, mas serei obrigada a ser repetitiva no assunto. Vê se isto ocorre com você também.

É eu entrar em táxi para ele me contar a vida. Veio de não sei onde, mora aqui há 20 anos, se separou da mulher, frequenta não sei que lugar agora e arrumou uma namorada, a mulher quer voltar. O que ele faz? Ou então amigas(os) ou pessoas que me procuram no lugar de trabalho e contam as estórias mais estranhas que existem: “tenho síndrome do pânico”, “não saio do hospital mas ninguém me diagnostica e eu não sei o que fazer” (obs, para esta pessoa eu digo para buscar ajuda espiritual e psicológica. Seu problema, amore, não será descoberto NUNCA porque você não tem NADA! Entende?), “cheguei em casa e meu marido tinha deixado um bilhete que tinha ido morar com minha prima”, “acho que estou sendo traído(a)”, “largo tudo – trabalho, família – e vou fazer intercâmbio ou fico?”, “amiga, desisto dele ou continuo?”, e por aí vai…

Gente, não ligo que desabafem comigo. Sério. E mãe e pai, não fiquem preocupados porque depois de muita cabeçada aprendi a não pegar problemas alheios para mim… às vezes escorrego, claro, mas isto é cada vez mais raro. (APLAUSOS!) Mas é necessário que algumas regras básicas sejam estabelecidas. Use-as com sabedoria, por favor… Moderação também seria legal:

1- Não espere que eu te diga o que fazer. Não sou louca ou irresponsável. Posso sim te ouvir, ser solidária, até sofrer com você (vá lá, amiga é para isto), mas JAMAIS te direi “faça isto, faça aquilo”. Porque já opinaram na minha vida e não deu muito certo não, e não quero a responsabilidade de tomar decisões por você, já que mal dou conta das minhas…

2- Não me cobre respostas. Na dúvida, leia o item 1 acima.

3- Não precisa se preocupar e ficar pensando se vou contar para alguém… Não sou JUDAS. Se me falam é porque confiam em mim. Não traio confiança alheia. Ou porque não acharam mais alguém por perto e era eu que estava ali na hora. Paciência, vai ver eu é que estava no lugar errado, na hora certa…

4- Saiba que NÃO ESCOLHER É UMA ESCOLHA. As pessoas insistem em achar que “deixar para a vida resolver” não é escolher. Compartilho minha sabedoria com você agora: não escolher é uma escolha. Então você tem sim responsabilidades sobre isto.

5- Não sei o que seria melhor para você. “O que você acha?” me arrepia. Simplesmente porque eu não sou você! Posso te falar das minhas experiências (algumas), dos livros e filmes  que eu li e vi (vários), mas nada disto substitui o básico: eu não sou você! Então não posso falar o que seria o melhor para você. Posso te contar o que ocorreu comigo, editando as partes que eu julgar necessárias, mas é você quem escolhe seu caminho. Estarei lá para ajudar nas quedas, dar copinho de água e gritarei palavras de incentivo. Mas a corrida é sua.

6- Não leve tudo muito a sério. A vida já é pesada por si só, não fique pegando pedrinhas na rua e colocando-as no seu bolso. Tente facilitar. E ter fé. Em qualquer coisa, que seja em um fósforo usado. Creia em algo… Alivia.

7- Lembre-se: TUDO PASSA! Tudo! E “isto” também vai passar…

Este é meu método de psicologia. Furado, admito, mas é o que tem para hoje. Continuarei te ouvindo, sempre. Faço aos outros o que gostaria que fizessem comigo. Mas isto não significa que assumirei algo que não é meu. É seu. Então use-o com sabedoria… e, se necessário, sem moderação.


 

 

 

 

 

 

 

 

E uma coisa que aprendi na terapia (beijos Claudete, você é tuuudo na minha vida, e jamais esquecerei como você me ajudou quando eu estava na lama): SOMOS RESPONSÁVEIS PELO QUE ACONTECE (FAZEM) CONOSCO. Então, se nos tratam feito merda, é porque deixamos…

Anúncios

2 Comentários on “Consultório aberto, mas não abuse…”

  1. Deborah disse:

    Bom como ja te disse talvez vai fazer Psicologia..rsrs…..Vamos lá isso acontece com você pelo fato de você ser essa pessoa carismatica e ouvir…..muitas vezes as pessoas buscam uma ajuda ..não ajuda de faça aquilo…melhor fazer isso..enfim ..mas sim pelo fato de VOCÊ OUVIR …..isso basta…….
    beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s